Agentes da Divisão de Homicídios (DH) prenderam, na noite desta quinta-feira, Elder Marinho, 22 anos, suspeito de ter estuprado e matado a menina Rebeca Miranda de Carvalho, 9 anos, no último sábado, na Favela da Rocinha. Elder foi preso na Favela Rio das Pedras, em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio. Segundo os policiais, ele confessou o crime.

O acusado foi capturado com o celular da vítima. Ele ainda tem pelo menos uma passagem por esturpo no Ceará. Os agentes da DH informaram que vão pedir a prisão temporária de Elder por 30 dias nesta sexta-feira.

Moradores realizavam um protesto na Autoestrada Lagoa-Barra, na altura da Rocinha, quando souberam da prisão do suspeito e foram para a frente da DH. No momento da prisão, Elder estava com um rosto arranhado.

Segundo o delegado Rivaldo Barbosa, o mandado de prisão deve ser expedido pelo plantão judiciário nesta madrugada. “Eu posso dizer agora que foi uma investigação das duas polícias, com sucesso”, comemorou o titular da DH.

Laudo aponta que criança levou mordidas

A menina Rebeca Miranda Carvalho dos Santos, de 9 anos, foi vítima de abuso sexual segundo laudo do Instituto Médico Legal (IML). Segundo o chefe de operações da Divisão de Homicídios (DH), Rafael Rangel, a causa da morte da jovem foi esganadura. Ela também apresentou marca de mordidas pelo corpo.

Rebeca foi encontrada morta na madrugada deste domingo na Favela da Rocinha, em São Conrado, na Zona Sul, com as roupas íntimas abaixadas. O crime foi cometido a cerca de 100 metros da sede da UPP local, na localidade conhecida como Cachopa.

De acordo com Rangel, imagens das câmeras de segurança da região onde ocorreu o crime já estão sendo analisadas. Como estava muito abalada no dia do crime, a mãe de Rebeca será chamada para prestar novo depoimento. O corpo da vítima foi sepultado no início da tarde desta segunda-feira no Cemitério São João Batista, em Botafogo, na Zona Sul.

“Interromperam o sonho da minha filha, Ela era uma menina decente. Quero justiça”, disse, emocionado, o motorista de ônibus Reginaldo dos Santos, pai da jovem. Os moradores da comunidade planejam uma manifestação para quarta-feira.

Testemunhas dizem ter visto um homem negro, de cerca de 30 anos e que vestia agasalho verde saindo, durante a madrugada de domingo, do terreno onde o corpo da menina foi encontrado pela manhã.

A perícia encontrou o corpo da menina sob telhas, sem roupas íntimas e com vestígios de sangue. Rebeca foi encontrada por volta de 7h30 por um amigo que reconheceu seu chinelo no acesso a uma obra abandonada. O local não é iluminado à noite.

Ela havia sido vista pela última vez, quando saiu de uma festa infantil, por volta das 22h30, para entregar um pedaço de bolo para a mãe, que a esperava. Parentes realizaram buscas no morro durante toda a madrugada e registraram o desaparecimento na 15ªDP (Gávea). Para a mãe da menina, Maria Miranda, o crime foi cometido por alguém de fora da Rocinha: “Muitas pessoas vieram para cá depois da implantação da UPP”.