Assistindo, lendo e acompanhando as últimas das Arenas e sem entrar no debate de quanto custou cada uma chego a uma conclusão de lamento. Lamento nunca mais ver aquele calor na arquibancada, lamento olhar para as cadeiras e ver a torcida vestida de forma elegante e sem emoção apoiando o seu, digo apoiando algum time e de preferência o que estiver ganhando. Em um olhar de 360º ver a neve na alma de cada um brilhar de forma a cegar os jogadores, os 22 guerreiros de arena, 22 marionetes do sistema, 22 animais adestrados para serem superficiais e gelados.

Lembro das loucuras e adrenalinas para ir a um jogo de futebol, começava do antes de sair de casa o friozinho na barriga, o pensamento e a imagem do maraca lotado. A caminho do maraca de busão e olhando o rosto das pessoas na rua sorrindo e vibrando, xingando e apoiando no seu trajeto, às vezes a “porrada” rolava em pontos já marcados com antecedência, a rivalidades entre as equipes por mais que amedrontasse era o gás do clássico, se seu time perdesse ou ganhasse aquela semana seria de risos e zuações. Ver a bandeira do seu time passear pelo maraca de uma ponta a outra com um alucinado torcedor com amor e alegria no coração não tinha preço e sim orgulho! Ver a torcida gritar o tempo inteiro incentivando seu time, xingando seu time, as caras e bocas, a tensão e a explosão de gol, isso nesta era do gelo não teremos mais. Querem banir, banir a insanidade do futebol, porque torcedor que é torcedor é de um louco a pouco. Aqui é Brasil, um povo alegre e comparar com o estilo europeu é covardia. Sentirei falta, talvez nem consiga ir mais ao maraca, os valores serão altíssimos. O pobre vai para o seu lugar, o lugar onde a massa vai ter que aprender a torcer pela TV e não mais na sua casa. E teremos que assistir a era do gelo predominar no nosso maraca.

É com tristeza que vejo a morte do futebol para os verdadeiros donos do futebol, e é com um ar de nostalgia e melancolia que me despeço dele, do maior do mundo. Ele nunca mais será o mesmo. Teremos uns ganhando muito dinheiro com a nova era do gelo e outros chorando em desespero e sem tempero no caldeirão que um dia foi uma feijoada e nesta era será um caviar, porra ruim do caralho.

Quem não tinha ou tem o costume de ir ao maraca, quem não sabe o calor daquela arquibancada irá contra o meu pensamento e eu respeito, sabe porquê? Por que eles não sabem o que é torcer….