O porta-voz do Vaticano, padre Federico Lombardi, indicou nesta segunda-feira que o sucessor do papa emérito Bento XVI não deverá ser escolhido nesta terça, quando começa o conclave. Em tom bem-humorado, Lombardi indicou a tendência ao descrever como será emitida a fumaça, que ocorre após cada votação. “Provavelmente, a fumaça escura deverá durar alguns minutos”, disse ele, ao fazer um balanço sobre a décima e última reunião que antecede o conclave, realizada nesta segunda.

O porta-voz referiu-se à emissão da fumaça, na Capela Sistina, assim que é encerrada a votação no conclave. A fumaça na cor escura surge quando não há consenso. A fumaça branca é emitida quando é eleito o papa – aquele que obtém dois terços da maioria, no caso 77 votos favoráveis.

Lombardi disse que 152 cardeais estiveram presentes, dos quais 115 têm direito a voto no conclave. No total, 28 cardeais fizeram intervenções nessa última reunião. Mas, no total, durante as dez reuniões, 161 falaram ao longo dos últimos dias.

Na última reunião preliminar, o administrador interino da Santa Sé, Tarcísio Bertone, fez um balanço da situação financeira do Banco do Vaticano. No momento, há uma série de informações, publicadas na imprensa internacional, sobre desvios de recursos na institutição. Mais uma vez, os cardeais discorrerram sobre o perfil do sucessor de Bento XVI. Mas Lombardi não entrou em detalhes.

A partir das 17h30 (13h30 no horário de Brasília) um grupo de 90 profissionais de diversas áreas, que prestarão apoio durante o conclave, farão um juramento de sigilo. Há uma cerimônia exclusiva para eles que não poderá ser acompanhada pela imprensa.