Sentada no plenário do Fórum de Guarulhos, a mãe de Mércia Nakashima, Janete Nakashima, chorou enquanto o único acusado pelo assassinato da filha, Mizael Bispo de Souza, deixava o local em atendimento ao pedido de Márcio Nakashima, irmão de vítima, arrolado pela defesa como testemunha.

Vestida de preto e branco Janete acompanhou curiosa a escolha dos jurados que vão decidir o futuro de Mizael, ex-namorado de Mércia, assassinada em uma represa em maio de 2010. Ela precisou, no entanto, do consolo da filha sentada ao seu lado, Cláudia Nakashima, quando o réu se levantou para que Márcio respondesse às perguntas da promotoria e da acusação.

Enquanto Mizael passava a seu lado escoltado pela polícia, Cláudia segurava a mão de Janete, que tentava conter o choro.

O juiz aceitou o pedido de Márcio, mesmo após as justificativas da defesa para a permanência de Mizael. “O doutor Mizael pediu para ficar apenas para nos orientar sobre perguntas. Não há nenhuma intenção de constranger a testemunha e os jurados”.

Primeiro a depor, Márcio é uma das testemunhas mais esperadas. Na semana passada, o advogado de defesa Samir Haddad Júnior afirmou ao iG que “Márcio ficou quatro anos sem falar com a irmã por causa do namoro”.

“Mizael era odiado pela família dela, que adorou que ele tenha sido apontado como suspeito porque eles não toleravam a presença do meu cliente”.

“O Mizael mudou com o tempo de namoro”, afirmou Márcio no início de seu depoimento.

Anúncios