E ainda querem um reajuste, fala sério. Para o deputado Gilberto Palmares que presidiu a CPI das barcas , esse reajuste é ilegal. “O artigo da lei que determina a realização de uma auditoria independente nas contas da concessionária, ainda não foi cumprido”, diz o deputado Gilberto Palmares.

Um tumulto marcou o horário mais movimentado de embarque na estação Praça XV das barcas no fim da tarde desta terça-feira. Muitos passageiros reclamavam nas redes sociais de super lotação nas embarcações e truculência de seguranças nas zonas de embarque. 

“Estou aqui no quebra-quebra mesmo. Uma barca saiu super lotada sentido Niterói, um absurdo… prestes a acontecer uma tragédia”, contou o usuário do Twitter Marcelo Amorim (@mamorim1973).

Jeferson Corato (@jefersonfcj), também através do microblog, descreveu um cenário ainda mais grave: “Confusão nas barcas devido a roletas quebradas na Praça XXV. Pancadaria rolando entre seguranças e passageiros”.

De acordo com a assessoria da CCR Barcas, o problema começou por volta das 17h30, quando uma embarcação que ia para Cocotá apresentou pane mecânica. O reparo foi realizado e, após 10 minutos, o embarque poderia ser realizado. No entanto, um grupo de passageiros se recusou a entrar na barca, uma das embarcações denominadas “tradicionais” pela concessionária.

Passageiros criticam super lotação na estação da Praça XV das barcas | Foto: Leitor Carlos (@carlos_wt)

Foto: Leitor Carlos (@carlos_wt)

Estes passageiros que não quiseram embarcar teriam impedido ainda o acesso de outro grupo, que pretendia seguir em direção à ilha de Paquetá às 17h45. De acordo com a empresa, a viagem para Cocotá – prevista para as 17h30 – acabou ocorrendo apenas às 18h25.

A assessoria não se manifestou a respeito dos problemas relatados nas embarcações que fazem o trajeto Praça XV – Niterói.

Reajuste em meio ao caos

O transtorno das filas gigantescas nas barcas viraram tema até de discursos na Assembleia Legislativa no início deste mês, onde os deputados questionaram proposta de aumento da tarifa sem a solução para a melhoria na qualidade do serviço.

Foto: Uanderson Fernandes / Agência O Dia

Em um dos dias de maior lotação, no último dia 8, o técnico em segurança de rede Deivison Pacheco foi um dos muitos que desistiram de esperar e optaram por fazer a travessia de ônibus. “Cheguei à estação às 18h15 e soube que só teria barca às 19h30. A fila ia até o Viaduto da Perimetral e muita gente começou a querer fazer tumulto. Todo dia é o mesmo transtorno, mas hoje (quinta-feira) foi pior”, reclamou.

No plenário, parlamentares disseram que grupo de deputados vai entrar na Justiça contra o reajuste na passagem, que seria de 6,6%.

“Vamos entrar com ação contra esse reajuste para tentar impedi-lo. Eles não se preparam, estão pouco ligando. Devem estar comemorando com o secretário de Transportes, Julio Lopes, o reajuste da tarifa. Vem o Carnaval e, afinal de contas, ‘quanto riso, quanta alegria, mais de mil palhaços no salão’ e nas filas”, criticou.

A CCR Barcas informou que o problema foi causado por duas embarcações que quebraram, além de vistoria da Capitania dos Portos, tudo no horário de rush.