Uma enxurrada de pedras e lama e o que fizeram os governantes do estado e dos municípios da região serrana? Muito pouco. Denúncias de desvio de verbas, desvios de mercadorias. Produtos doados, como exemplo mais de 100 geladeiras novinhas, apodrecendo em um galpão na cidade de Friburgo. Os moradores da região serrana denunciam que pós tragédia só teve apoio das forças governamentais durante um curto espaço de tempo e depois esqueceram dos desabrigados e prejudicados das chuvas.

Agora, um ano depois, volta a tormenta da região em mais uma tragédia anunciada. Há de haver uma fiscalização mais rígida do governo federal para evitar “furtos” e “sumiços”.

 

 

Cerca de 250 pessoas seguem em abrigos públicos, creches e escolas. Na terça, em 24h, choveu o equivalente para 20 dias de novembro na cidade, segundo a Defesa Civil estadual.

A sirene de alerta instalada no bairro Três Irmãos, no distrito de Conselheiro Paulino, em Nova Friburgo, voltou a ser acionada por volta das 19h20 desta terça-feira. O alerta pedia para os moradores deixarem suas casas porque havia risco de deslizamento na região. Carros da PM e dos bombeiros ajudaram os moradores na retirada dos móveis.

Bairro foi devastado em tragédia de janeiro de 2011 Essa mesma área atingida no bairro Três Irmãos também foi devastada no temporal de janeiro de 2011, quando mais de 900 pessoas morreram na Região Serrana do Rio. As casas destruídas pelo deslizamento ocorrido na tarde desta terça estavam interditadas desde a tragédia que completará dois anos em 2013.

De acordo com o Grupo de Previsão e Monitoramento, permanecem as previsões de chuvas de intensidade moderada. A Defesa Civil pede que os moradores da Região Serrana, do Vale do Paraíba, do Norte e do Centro-Sul prestem atenção aos comunicados do órgão. Na Região Serrana, as cidades de Bom Jardim, Trajano de Morais, Nova Friburgo, Carmo, Santa Maria Madalena, São José do Vale do Rio Preto, São Sebastião do Alto e Cordeiro têm risco de deslizamentos.