Esta tarde um grupo armado (mas não existe mais isso no Rio das UPP’s) cercou e enCÚrralou policiais dentro de uma delegacia na zona norte do Rio para resgatarem um “piloto de fuga” da quadrilha. Os bandidos mostraram que se quiserem invadem a secretaria de segurança pública na hora que bem entenderem. Na boa, isto é uma vergonha para uma cidade que vai sediar Copa do mundo e Olimpíadas, isto é um vexame para uma cidade séria. Como pode um bando armado (mas não existe mais isso no Rio das UPP’s) sair em dois carros e duas motos com 15 homens  e se deslocarem em plena luz do dia uma distância considerável cheio de armas de grosso calibre e não serem interceptados? Mostra a fragilidade de nossa segurança pública que só faz blitz para arrecadar para o Estado e não para prender bandido, mostra o desrespeito com a corporação, mostra que não existe prevenção e sim corrupção… vai você cidadão sair de casa com a lanterna do seu carro trincada “pra ” ver se não vai ser parado e morrer em uma graninha, um cafezinho, o famoso arrego!!? Mas sair com FUZIL pode. Eu só fico imaginando quando a olimpíada acabar o caos que será a nossa cidade.

E olha que esta bagunça toda foi só para resgatar um “piloto de fuga”, rsrsrsrsrs…. se o crime fosse orgnizado o governador estaria preso. Se a polícia não deuuma resposta no ato do acontecido com medo de um derramamento de sangue (o que garantia que os bandidos não atirassem nos policiais? estranho não) que dê uma resposta contundente e cirúrgica nos bandidos que tripudiaram da corporação nesta tarde de terça-feira (3/7/2012). A polícia sabe de onde são os bandidos e quem são agora é mostrar que tem honra e correr atrás do prejuízo que já está grande.

A ousadia de um grupo de criminosos surpreendeu a polícia na tarde desta terça-feira. Quinze bandidos invadiram a delegacia do Engenho Novo para resgatar Diogo de Souza Feitosa, o DG. Armados de fuzis e metralhadores, eles usaram alicates para cortar o cadeado e libertar DG. Os agentes que estavam dentro da delegacia não reagiram por medidas de segurança, como explicou o delegado titular Antenor Martins Lopes.

“Foi tudo muito rápido. Os criminosos estavam fortemente armados e entregaram um fuzil para o preso que foi resgatado. A delegacia estava cheia e uma uma reação dos policiais causaria um banho de sangue”, esclareceu Lopes.

A quadrilha chegou à 25ª DP em dois carros e duas motocicletas. Eles cercaram e invadiram o local para retirar o suspeito, que seria “pilotode fuga” da quadrilha. Durante um confronto fora da delegacia, dois policiais ficaram feridos, sendo que um deles precisou ser levado para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, e o outro não chegou a ser hospitalizado. Até o momento, ninguém foi preso, apenas uma moto foi apreendida.

De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Civil, o suspeito se apresentou aos agentes como Luan de Souza, com documento de identidade falso, moto roubada e duas granadas estava sendo autuado depois de ter sido levado pela PM.

Diogo foi preso nesta manhã após sofrer um acidente de motocicleta na Avenida Leopoldo Bulhões, em Manguinhos. Ao ser socorrido por policiais do 22º BPM (Maré), ele foi reconhecido. De acordo com PMs, ele estaria fugindo de policiais que faziam operação em Manguinhos. Com DG, os militares encontraram duas granadas. O traficante foi levado para a delegacia com ferimentos leves.

Policiais civis da 25ª DP e da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) realizam buscas na região para encontrar os criminosos, inclusive um helicóptero é usado pelos agentes.

Sindicato propõe vigilância de PMs

Após a invasão, o Sindicato dos Funcionários da Polícia Civil (Sinpol) ressaltou a necessidade do aumento do efetivo de agentes, que deve ir de 9.500 a 23.500 em cumprimento à lei. “Em consequência, o número de policiais em cada delegacia fica 50% abaixo do previsto no expediente e escala de plantão”, afirma à nota, referindo-se à quantidade total de agentes.

O Sindicato propôs ao Governo do Estado que os policiais militares façam “bicos” na entrada das delegacias para reforçar a segurança nas unidades que recebam presos de alta periculosidade. O Sinpol lamentou o ocorrido e solicitou que a Secretaria de Segurança Pública “tome as providências necessárias para que tal ousadia dos criminosos não se repita”, diz a nota.

A chefe da Polícia Civil, Martha Rocha, determinou ação imediata visando a apuração dos fatos que levaram ao ataque sofrido. A Corregedoria Interna da Polícia Civil (Coinpol) estava na delegacia no momento da invasão, realizando uma inspeção rotineira.

A Polícia Civil pede à população que qualquer informação sobre os traficantes seja repassada para o Disque Denúncia (2253-1177) ou para a própria Chefia de Polícia (2332-9915).