Três chineses foram assaltados e agredidos com socos e empurrões ontem à tarde por quatro homens armados próximo à Estação de trem da Praça da Bandeira, na Zona Norte do Rio. Eles são funcionários da empresa chinesa Changchun Railway Vehicles (CNR), contratada pela Central Logística, órgão vinculado à Secretaria de Estado de Transportes. Eles, que nunca haviam sido vítimas de assalto, vão pedir guarda-costas.

Os técnicos tinham acabado de chegar ao Brasil para executar testes obrigatórios nos novos trens chineses adquiridos pelo governo do estado. O grupo caminhava em direção à oficina de São Diogo, onde é feita a manutenção dos vagões da Supervia, distante 300 metros da estação, quando foi abordado.
Os estrangeiros levaram socos e tapas dos assaltantes, que fugiram levando passaporte, câmera fotográfica, laptop, celular e dinheiro. Um deles havia chegado na véspera à cidade. Os empregados prestaram depoimento na Delegacia Especial de Apoio ao Turismo (Deat), no Leblon.
Assustados com a violência, os chineses disseram que vão pedir seguranças à Supervia. Em nota, a concessionária informou que, “todos os entendimentos da empresa CNR devem ser feitos com a Central Logística”. Engenheiros da CNR — empresa que também vendeu vagões ao metrô — já demonstraram receio em vir ao Rio de Janeiro por medo de violência.