É bom lembrar que quase todas as UPPs estão dando problemas, e o São Carlos é uma pedra no sapato da secretaria de Segurança do Rio de Janeiro.

Dois policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Morro de São Carlos, no Estácio, acusados por um jovem de 17 anos de agressão, serão afastados do patrulhamento das ruas enquanto durar o inquérito aberto pela Corregedoria da Polícia Militar.

O rapaz prestou queixa na Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (Dcav), que abriu procedimento para apurar crime de tortura contra os praças e outros dois policiais ainda não identificados.

Policiais da UPP São Carlos são acusados de agredir jovem com socos, choques e saco na cabeça | Foto: Ernesto Carriço / 12.12.2011

A PM informou que os policiais farão serviços administrativos enquanto a investigação estiver em curso e que só ontem recebeu informações sobre a denúncia feita pelo jovem à Polícia Civil.De acordo com a Comissão de Direitos Humanos da Alerj, o rapaz teria admitido ser usuário de drogas e que fora agredido após os policiais encontrarem vestígios de maconha na sua casa.

O caso do jovem não é o primeiro problema na UPP São Carlos. Em fevereiro, o então comandante da unidade, capitão Adjaldo Luiz Piedade, foi preso acusado de receber propinas de traficantes.Dias depois, intenso tiroteio entre PMs e bandidos deixou um menor de 14 anos morto e uma viatura chegou a ser incendiada.

O jovem fez exame de corpo de delito no Instituto Médico-Legal e diz ter sido agredido com socos, choques elétricos e até um saco na cabeça. Ele tinha ferimento visível no pé esquerdo. O delegado que conduz o inquérito, Marcello Braga, disse nesta quinta-feira que não vai comentar o caso, que está sob sigilo. Policiais da Dcav e peritos examinaram ontem a casa do rapaz.

Ele e a mãe deixaram a comunidade e foram para a casa de parentes. A Comissão de Direitos Humanos da Alerj informou que eles não quiseram ir para um abrigo. Em nota, a Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP) informou que, somente entre terça-feira e ontem, foram registradas quatro ocorrências de tráfico de drogas envolvendo menores em comunidades pacificadas pela polícia.

No total, seis adolescentes foram apreendidos, uma jovem de 18 anos foi presa e a polícia apreendeu vários papelotes de cocaína, crack e mais de R$ 500 com os acusados