Uma grande explosão atingiu um prédiona Praça Tiradentes, no Centro, na manhã desta quinta-feira. Três pessoas morreram e pelo menos 13 ficaram feridas. Três vítimas estão internadas em estado grave. O acidente ocorreu na esquina da Rua da Carioca com a Avenida Passos, próximo a um hotel. O prefeito Eduardo Paes está no local acompanhando o trabalhos dos bombeiros.

Segundo o comandante do 5º BPM (Praça Harmonia), coronel Amaury  Simões, uma das vítimas, identificada apenas como Antônio, seria chefe  de cozinha do restaurante Filet Carioca.

De acordo com bombeiros, um vazamento nesta quarta-feira teria  causado grande acúmulo de gás no estabelecimento. Um funcionário chegou  ao restaurante nesta quinta e acendeu a luz, o que provocou a explosão.

Além do restaurante, uma lan house e uma loja de iogurtes funcionavam no primeiro andar do edifício Riqueza. A explosão, que causou lançamento de estilhaços, de pedras, madeiras e rebocos, atingiu oito andares do prédio. Com o forte impacto, corpos foram arremessados.

Os feridos estão sendo levados para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro. Ainda não se sabe o estado de saúde das vítimas. As ruas da Carioca, Assembleia e Visconde de Rio Branco estão interditadas ao trânsito. Equipes da CET-Rio, Guarda Municipal e Comlurb, além de bombeiros e policiais militares estão no local, que está isolado.

A  dona de um salão de beleza localizado no segundo andar do predio  relatou o drama vivido nesta manhã. O acidente deixou três mortos e 13  feridos. De acordo com Christiane Souza Garcia, ela abriria o  estabelecimento por volta das 8h, contudo, deixou antes os filhos na  escola.

“Estou arrasada, pois com certeza afetou produtos da minha loja. Pelo  menos tenho seguro. Pior é quem está deitado no chão e não seguro que  levante”, lamentou a comerciante, que abriu o estabelecimento há uma  semana.

De acordo com o Centro de Operações Rio, o trânsito está interditado na Rua Visconde do Rio Branco, na altura da Praça Tiradentes
Os feridos estão sendo levados para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro. Ainda não se sabe o estado de saúde das vítimas.

“É um cenário de guerra. Pessoas foram arremessadas a cinco metros”, disse o cabo Dielson da Silva Evangelista, que está no local

Bombeiros do quartel Central estão no local para atender as vítimas