O sequestro
O ônibus que liga a Praça XV a Duque de
Caxias, na Baixada Fluminense, foi cercado pela polícia na pista sentido Praça
da Bandeira, na altura do Sambódromo. Quando o ônibus parou no ponto, os
criminosos entraram e pagaram a passagem. O motorista desconfiou e no ponto
seguinte conseguiu fazer sinal para dois policiais e aproveitou para fugir.

Policiais militares do batalhões do Méier, de São Cristóvão e da Praça
Tiradentes, do Batalhão de Policiamento de Choque (BPCHQ) e do Batalhão de
Operações Especiais (Bope) foram acionados para o local. Os pneus do ônibus
foram furados após duas tentativas de fuga dos criminosos. Policiais armados de
fuzis e pistola se posicionaram do outro lado da pista.

De acordo com a delegada Gisele Rosemberg, da 6ª DP (Cidade Nova) a maioria
dos passageiros disse em depoimento que quatro homens entraram no ônibus e que
um deles saltou do veículo com uma refém e depois fugiu. Outro criminoso teria
deixado o veículo em seguida. Durante a fuga, o homem ainda roubou um carro e
manteve um casal refém até Manguinhos, no subúrbio.

Após uma hora e meia, os dois criminosos que estavam no ônibus se renderam.
Mais tarde, a polícia prendeu em flagrante o suspeito que tinha fugido para
Manguinhos. Ele foi preso quando recebia atendimento num hospital, em
Copacabana, na Zona Sul. A polícia disse que o quarto suspeito do crime já foi
identificado e que vai pedir a sua prisão preventiva.

Segundo a polícia, testemunhas afirmaram em depoimento que os criminosos não
dispararam dentro do veículo. Mas, segundo a delegada, somente a perícia
da Polícia Civil vai apontar de onde partiram os tiros.

Comparsas
A delegada afirmou, ainda, que haveria
outros comparsas num carro que estava em frente ao ônibus. Segundo ela, as
vítimas contaram que os criminosos se comunicavam com outras pessoas pelo
celular.

O analista de suporte, Hélio Gomes, que foi obrigado
pelos criminosos a dirigir o ônibus
após o motorista abandonar o veículo,
disse que ouviu os suspeitos se comunicarem com os comparsas: “Toda hora eles
falavam ‘volta para socorrer a gente, volta pra socorrer a gente’. Eles mandaram
arrancar. Eu consegui fugir já no segundo cerco, quebrei o vidro e sai”,
contou.

De acordo com a delegada Gisele, um dos suspeitos presos já possui passagem
pela polícia e outro possui um mandado de busca e apreensão. Ele afirmou que
todos vão responder pelos crimes de roubo triplamente qualificado, formação de
quadrilha e receptação. Com eles, a polícia apreendeu três pistolas – uma delas
com numeração raspada – e uma granada.

Passageira é ferida durante sequestro de ônibus no Centro do Rio (Foto: Marcelo Carnaval / Agência O Globo)Passageira é ferida durante sequestro de ônibus no
Centro do Rio
Com todo respeito até porque quem vê cara não vê coração, mas não é difícil reconhecer um BANDIDO.
Anúncios