Hoje os bombeiros foram libertados da covardia feita por Cabral. O deputado Estadual Gilberto Palmares cumpriu seu papel perante a sociedade e atuou de forma exemplar na luta destes milhares de heróis. Gilberto Palmares esteve na libertação dos presos em Charitas e recebeu o agradecimento dos Bombeiros. Valeu Gilberto Palmares pelo seu caráter!!! Valeu Bombeiros pela sua bravura!!!

A Justiça concedeu, na madrugada desta sexta-feira, um habeas corpus que garante liberdade a todos os bombeiros presos. Os militares já começam a ser liberados dos locais onde estavam sob custódia. O recurso foi pedido por parlamentares da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara dos Deputados e atendido pelo desembargador Cláudio Brandão. “Convencido de que a manutenção da prisão não mais se justifica, defiro a liminar requerida e concedo liberdade provisória aos militares presos no episódio mencionado na petição inicial e que constam na relação”, informa a decisão do desembargador. Bombeiros estão presos no quartel de Charitas desde sábado. Na quinta-feira os deputados Alessandro Molon (PT-RJ), Dr. Aluízio (PV-RJ) e Protógenes Queiroz (PC do B-SP) estiveram reunidos com os presos e com manifestantes na Alerj. Hoje eles irão aos quartéis para comunicar a decisão judicial. “Nós estamos muito felizes (com a liberdade dos bombeiros). Eu e os deputados Protógenes Queiroz e Dr. Aluízio estamos contribuindo para o fim desta crise que estava deixando a nossa cidade em um estado complicado. A manutenção da prisão estaria colocando em risco a ordem pública e isso poderia desestabilizar as coisas por aqui e em outros estados, que já começavam a se mobilizar. Espero continuar contribuindo para um Rio e um Brasil melhores”, disse o deputado Alessandro Molon à Rádio Band News. Nesta sexta-feira, policiais militares, que não quiseram se identificar, fizeram denúncias de que estão sendo impedidos de trabalhar caso demonstrem solidariedade ao movimento por libertação e melhores condições salariais ao Corpo de Bombeiros. O problema acontece especialmente no Batalhão de Choque. Em solidariedade aos bombeiros, muitos policiais foram trabalhar com camisas vermelhas ou faixas da mesma cor colocadas nas fardas. De acordo com as denúncias, o coronel Rocha, do Batalhão de Choque teria impedido a saída destes PMs para o trabalho nas ruas. “Fomos impedidos de sair do quartel pelo coronel Rocha, do Choque. Não pudemos sair pelo simples fato de estarmos de camisas ou acessórios vermelhos, indicando que apoiamos o movimento dos bombeiros. Cheguei às 8h e ainda estou aqui”, disse um PM à Rádio Band News. Parentes de policiais militares também fizeram denúncias de que os PMs não podem deixar os quartéis para trabalhar. Na quinta-feira, o comandante-geral da corporação, coronel Mário Sérgio, pediu que os militares evitassem colocar faixas vermelhas em solidariedade aos bombeiros.