Três casos de morte dentro de motel em menos de um mês: sexo seguro só em casa? O ser humano está perdendo a razão totalmente, estão se matando como se fosse um jogo de violência dos games pois acham que ficarão impunes, confiam na justiça brasileira que é falha e branda com quem comete crimes bárbaros. Mas voltando aos crimes nos motéis, nos três casos há indícios de traição de um dos parceiros, o que não é legal mas também não pode chegar ao ponto de agir com extrema violência. Os três casos aparentemente foram premeditados, as vítimas morreram achando que iam “gozar” do melhor da vida. Esta última então pisou feio na bola: apanhava do ex, separou-se dele, sofria ameaças e mesmo assim continuava a manter relações com o suspeito. Desculpe mas é amor demais pelo além.

O suspeito de matar a ex-namorada em um motel em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, deixou um recado para a polícia nos espelhos do quarto dizendo que estava sendo traído. A mulher foi encontrada morta na última quarta-feira (25), com sinais de asfixia. Policiais da Divisão de Homicídios (DH) estão à procura do suspeito, que está foragido. O motel fica na Estrada do Mendanha, a principal de Campo Grande. As câmeras do circuito interno de segurança ajudaram a polícia a desvendar o caso. As imagens foram divulgadas pela Polícia Civil. O vídeo mostra que, às 18h30 da última quarta-feira, o casal chega ao motel de moto. Ele fecha a porta da garagem e, quase duas horas depois, o suspeito sai do quarto sozinho. Ainda de acordo com as imagens, o homem fica alguns segundos parado em frente ao portão. Em seguida, ele vai embora a pé, sempre olhando para os lados. Mais tarde, funcionários do motel encontraram o corpo da mulher no quarto. De acordo com agentes da DH, a vítima estava na cama, seminua. Além de asfixiada, a polícia informou que a mulher foi morta a pancadas. Pedido de prisão A polícia já entrou com pedido de prisão do suspeito. Segundo as investigações, ele teria agido por vingança por não se conformar com o fim do relacionamento que teria durado três anos. O namoro teria terminado em janeiro. O suspeito não aceitava a separação e esse teria sido o motivo do crime. “Após o rompimento, eles tinham encontros casuais, mas tudo leva a crer que ele insistia no retorno da relação. A vítima não aceitava, e por conta disso ele teria cometido o crime”, disse o delegado Gabriel Ferrando.

Na quarta-feira (25), policiais da 28ª DP (Campinho) prenderam em flagrante um homem de 37 anos suspeito de matar a mulher, de 31, a facadas em um motel em Cascadura, no subúrbio do Rio.

A polícia prendeu ainda a jovem Verônica Verone, de 18 anos, que confessou ter matado o empresário Fábio Gabriel Rodrigues enforcado em um motel de Niterói, na Região Metropolitana do Rio, na madrugada de sábado (14). Ela alegou que agiu em legítima defesa, após uma tentativa de estupro. Verônica participou da reconstituição da morte do empresário no sábado (21). Ela teve a prisão temporária renovada por mais 25 dias na quinta-feira (19) e segue presa em Bangu 7.

Anúncios