O senador Aécio Neves (PSDB-MG), ex-governador de Minas Gerais, foi parado numa blitz da Lei Seca na esquina das ruas Bartolomeu Mitre e General San Martin, no Leblon, pouco antes das 4h da madrugada de ontem. Ele estava com a Carteira Nacional de Habilitação vencida e, segundo informação da Secretaria de Estado de Governo, se recusou a fazer o teste do bafômetro. Sua assessoria, no entanto, limitou-se a dizer que o teste não foi feito.

Aécio Neves, segundo testemunhas, não chegou a sair do seu veículo. Abordado pelos agentes, ele se apresentou e teria dito que não faria o teste do etilômetro. Aécio só foi liberado depois que um taxista habilitado assumiu a direção da picape Land Rover.

Após a abordagem, sua acompanhante — um outro casal estava no banco de trás do carro — saltou, pegou um táxi e voltou, cerca de 15 minutos mais tarde, com o taxista que levou o veículo.

Da blitz, Aécio saiu com duas multas e 14 pontos na carteira pelas duas infrações. A primeira multa, de R$ 191,54, foi pelo documento irregular; a outra, de R$ 957, por ter se recusado a fazer o testo bafômetro.

Outro político que ficou sem carteira ontem foi o ex-prefeito de Magé, Charles Cozzolino. Na blitz realizada no centro de Duque de Caxias. Ele também foi parado e não quis fazer teste do bafômetro.

Assessoria diz que senador acatou a lei

Ontem à tarde, a assessoria do político distribuiu nota explicando que o senador havia jantado nas redondezas de seu apartamento e voltava para casa quando foi abordado na blitz.

“Em respeito à legislação vigente, o senador entregou a habilitação ao agente e, seguindo as orientações recebidas, providenciou um condutor habilitado — um taxista que se encontrava no local.

Ainda de acordo com a assessoria, Aécio não fez o teste do bafômetro: “Constatado o vencimento do documento de habilitação e providenciado outro motorista para condução do veículo, o mesmo não foi realizado”.

Anúncios