Nós todos sabemos da diferença de tratamento dado pelos orgãos públicos aos moradores da zona sul e zona norte. Mas agora uma mídia d grande circulação fez uma comparação com gravação de áudio, jornal O Dia.Isso já é visível ao passar pelos dois “mundos”, viadutos da zona sul bem iluminados em cima e embaixo, nos da zona norte só escuridão… ruas da sul limpas, caminhões da comlurb passa toda hora varrendo e lavando, na norte a chuva lava e o morador cata. Aboradagem policial na zona sul é um primor… “boa noite senhor, posso verficar seus documentos?” “desculpe por lhe abordar e tenha uma boa ida para casa”… já na zona norte… “Ô cidadão, documentos e trabalha em quê?” “”toma os documentos e vai embora”… só uns exemplos senão ficaria aqui a noite toda. Parando um pouco na linha policial tem um monte de ignorâncias praticadas por estes “PIIIIII” à população da zona norte… imaginem estes animais em uma comunidade?

Para conseguir uma iluminação para certos trecho de rua aqui na zona norte por vezes temos que recorrer uma 30 vezes aos orgãos competentes, na zona sul nem precisa pedir, e por aí vai…

Segue trechos da reportagem do jornal O Dia:

Disque-Rio trata problemas da Zona Sul com mais agilidade que na Norte.

Durante uma semana, O DIA acompanhou e gravou contatos de cariocas com o 1746

Criado para atender igualmente moradores de todas as regiões da cidade, o Disque-Rio — central unificada de serviços básicos do município — apresentou problemas na primeira ‘Blitz do DIA’, que estreia hoje. O principal motivo? Problemas iguais nas zonas Sul e Norte receberam tratamentos e prazos de atendimento distintos, com mais agilidade na área mais nobre. Num dos principais casos, a diferença chegou a exatos 85 dias, ficando 18 vezes mais demorada para quem vive na Zona Norte.

Durante uma semana, O DIA acompanhou e gravou contatos de cariocas com o 1746. O caso mais emblemático aconteceu na quarta-feira. Moradores de Copacabana e do Cachambi reclamaram sobre o tempo disponível para travessia nos sinais de trânsito. Ao estudante Diogo Nunes, 22 anos, o prazo dado para solucionar o problema na esquina da Avenida Atlântica com a Rua Santa Clara, em Copacabana, foi de cinco dias. Já para o bancário aposentado, Jaime Cordeiro, 56, que enfrenta o mesmo problema na esquina das ruas Honório com José Bonifácio, no Cachambi, foram previstos 90 dias para a solução.

REALMENTE é um governo desgovernado… isso porque não falei do muro da zona oeste 1 e zona oeste 2… a verdade é que quem mora na zona sul não sabe o perrengue que o morador da zona norte sofre, e quantos leões tem que matar por dia. A cidade para ser ordeira precisa de organização em um todo.

*nota do editor: 1º passo seria estinguir esta polícia corrupta e cruel.