TÓQUIO (Reuters) – A operadora da usina nuclear Daiichi, em Fukushima, disse nesta quinta-feira que havia começado a conectar cabos elétricos do lado externo da usina japonesa, e que a eletricidade poderia ser ligada na quinta-feira.

Leia também:
Capital do Japão enfrenta ameaça de apagão
Governo japonês inicia operação para acabar com escassez de gasolina

 

A Tokyo Electric Power Co. havia esperado conectar os cabos na tarde de quinta-feira (horário local) para duas das seis unidades de reatores da usina, permitindo reativar as bombas de resfriamento que se desligaram depois do terremoto e tsunami de sexta-feira, evitando um colapso da usina e evitando uma escassez de energia para a população.

A agência nuclear do Japão disse que o reator número 2 será o primeiro a receber eletricidade porque tem uma cobertura e tentará usar a energia para mecanismos internos.

Na manhã desta quinta-feira, helicópteros militares despejaram cerca de 30 mil litros de água do reator 3, na tentativa de resfriá-lo. Uma equipe de emergência adiou temporariamente a pulverização no mesmo reator usando um canhão de água, por causa do alto grau de radiação, disse a emissora NHK. Mas um outro grupo mais tarde começou a usar as mangueiras no local.

<!–[if gte mso 10]> –>Apagão
O mau funcionamento dos caixas eletrônicos e a ameaça de cortes de energia sobressaltaram nesta quinta-feira a população de Tóquio, onde milhões de pessoas começaram a estocar arroz e outros mantimentos e permanecem trancadas em casa ou aglomeradas nos aeroportos com medo da crise nuclear no Japão.

Usina de Fukushima antes do acidente

Anúncios