Houve mortes em 12 prefeituras, e há desaparecidos em seis, diz polícia.
Número de mortes deve crescer, e crise nuclear preocupa país e mundo.

Tsunami passa e carro fica em cima de prédio (Hiroaki Ono/AP)

O número de mortos vítimas do terremoto seguido de tsunami do dia 11 chegou a 4.255, em 12 prefeituras (distritos) do Japão, e 8,194 continuavam desaparecidos em seis prefeituras, segundo dados divulgados pela Polícia Nacional às 20h locais desta quarta (16).

O número de vítimas, no entanto, deve subir bastante, à medida que mais corpos são achados, principalmente nas áreas costeiras atingidas pelo terremoto.

O premiê Naoto Kan disse que mais de 26 mil pessoas seriam resgatadas com vida, mas o número de mortos e desaparecidos.

Poucas vítimas foram submetidas a autópsia, por falta de equipes. A prioridade é identificar as vítimas.

Nas prefeituras mais atingidas, como Iwate, Miyagi e Fukushima, a polícia começou a anunciar nomes, idades e endereços de vítimas, baseados em documentos encontrados com os mortos.

Equipes britânicas de resgate em Kamaish nesta quarta-feira (16) (Foto: AP)
Equipes britânicas de resgate em Kamaishi nesta quarta-feira (16); a neve atrapalhava os trabalhos de resgate e castigava os desabrigados (Foto: AP)

Mais de 430 mil pessoas ainda estão em 2.400 abrigos em oito prefeituras. As três prefeituras mais atingidas requisitaram a construção de 32.800 casas temporárias.

O número de pessoas retiradas da região de Fukushima próximo à usina nuclear em risco está crescendo. Os responsáveis seguiam tentando resfriar o reator 4 e evitar um desastre maior.

Anúncios